Cólica renal

colica

A cólica renal é uma dor de muito forte intensidade – há quem diga que é a dor mais intensa da sua vida. Tipicamente tem um início súbito, surge na região lombar alta no lado direito ou esquerdo e pode irradiar-se para frente pelo abdômen do mesmo lado e atingir até a região genital. Comumente é acompanhada de náuseas e vômitos, sangue na urina e desconforto na bexiga.

A cólica renal surge, na maioria das vezes, em razão de um cálculo (pedra) que se solta de dentro do rim e tranca no ureter, que é o fino e delicado canal que transporta urina do rim para a bexiga, provocando uma obstrução.

Em um serviço urológico de excelência, a etapa mais importante do atendimento de uma pessoa que chega com este quadro é o rápido, seguro e eficaz controle da dor com medicação analgésica, sendo habitual a necessidade de uso de medicação endovenosa.

Em paralelo, já são realizados exames complementares, dentre os quais são habituais a radiografia de abdômen, ultrassom do aparelho urinário e tomografia computadorizada sem contraste. Além de confirmar o diagnóstico, identifica-se o tamanho e a localização do cálculo.   Estas informações radiológicas, em conjunto com a resposta ao tratamento da dor, norteiam os próximos passos. Para as pessoas em que a dor foi controlada sem grande dificuldade e nas quais o cálculo tem tamanho e localização mais propícios a eliminação espontânea, sugere-se acompanhamento e tratamento medicamentoso com objetivo de controle da dor e facilitação da eliminação do cálculo, a chamada “terapia expulsiva”. Noventa por cento das pessoas se enquadram neste grupo. Para os que ficam com dor sustentada mesmo após forte analgesia endovenosa ou nos quais as características do cálculo antecipam maior dificuldade em eliminá-lo, sugere-se intervenção médica imediata.

Evidentemente a decisão final é pessoal e variável, devendo se considerar diferentes graus de tolerância à dor, gravidez, co-morbidades, viagens e outras ponderações. Existem, entretanto, duas situações potencialmente graves em que a intervenção para desobstrução renal é mandatória: quando há dilatação renal persistente por mais do que três a quatro semanas de cálculo obstrutivo, que pode levar a perda definitiva de função renal, e quando há associação com infecção renal, um quadro potencialmente fatal.

Dentre os tratamentos para o cálculo ureteral, destacam-se os métodos endoscópicos. Realizados em centro cirúrgico, sob anestesia, é possível acessar, fragmentar e remover o cálculo ureteral responsável pela cólica. Com a evolução da tecnologia, hoje existem endoscópios extremamente finos e flexíveis, pinças extratoras igualmente delicadas, e fontes de energia eficazes como o laser, o que aumentou a eficácia e segurança do método. Casos mais complexos, de cálculos maiores obstruindo a saída do rim podem necessitar de endoscopia via percutânea, feita através de uma punção na região lombar.

O Ultralitho Centro Médico, onde atuamos, está constantemente evoluindo para melhor atende-lo. Recém inaugurou um novo espaço para o atendimento do plantão urológico 24 horas, que é tradição em Florianópolis, há mais de quinze anos em atividade. Seus colaboradores estão atentos para identificar pessoas que chegam com dor, em sofrimento, para prestar rápido acolhimento e iniciar o protocolo humanizado de atendimento, nos moldes acima descritos. Os serviços de imagem foram também reestruturados, com aumento da capacidade de atendimento do ultrassom e do raio x, e a adição de um serviço de tomografia computadorizada, fruto de uma parceria, com instalação anexa ao prédio do Ultralitho, na rua Osmar  Cunha, nº 415.

Os urologistas do nosso grupo são profissionais extremamente experientes, atualizados e comprometidos, cuidando dos seus pacientes em todas as etapas do tratamento, com grande disponibilidade. Com equipamentos de ponta, a intervenção endoscópica, quando indicada, habitualmente é realizada no mesmo dia ou no dia seguinte, para que a pessoa tenha o menor tempo de dor possível, e possa retomar o quanto antes as suas atividades habituais.