Doenças sexualmente transmissíveis (DST) / Doenças genitais

dst

Inúmeras são as doenças que apresentam a característica de serem sexualmente transmissíveis. Estas doenças são causadas por vírus, bactérias, protozoários ou fungos e cada uma delas apresenta aspectos específicos. Um fator comum a quase totalidade delas é que o uso de preservativo durante toda a relação sexual serve como proteção da contaminação.

Essas doenças podem localizar-se em qualquer região do genital masculino ou feminino, o que inclui pênis, escroto, uretra, grandes e pequenos lábios. Entre os sintomas, podem surgir lesões de pele (bolhas, úlceras, pápulas, placas) com alteração de cor (esbranquiçada, avermelhada) acompanhada ou não de secreção local. Pode haver prurido (coceira), dor ou ardência local e também pode vir acompanhado de sintomas urinários como ardência e sangramento ao urinar. Algumas doenças geram corrimento uretral (saída de secreção pela uretra), que pode ser transparente ou até purulento.

O diagnóstico dessas doenças pode ser feito com base na história clínica e aspecto da lesão. Em alguns casos são solicitados exames complementares confirmatórios ou para fazer o diagnóstico diferencial entre algumas doenças semelhantes. Nos pacientes com alguma DST, é recomendável que se faça solicitação de sorologias para hepatites B e C, HIV e sífilis, devido ao risco de contaminação pela exposição sexual desprotegida.

Algumas doenças têm tratamento específico com antibióticos, antiparasitários ou antifúngicos. Para algumas, faz-se uma associação de medicações que possui cobertura para todos os possíveis agentes causadores da doença. Por outro lado, algumas doenças possuem uma evolução auto-limitada, com regressão espontânea, necessitando apenas de cuidados locais.

A maioria das doenças sexualmente transmissíveis quando são tratadas não deixam nenhuma sequela ou consequência. Algumas delas, porém, podem apresentar recorrência ou recidiva, deixar sequelas como estreitamento de uretra, ou apresentar caráter crônico.

Com relação às recomendações, é de fundamental importância manter bons hábitos de higiene, usar sempre preservativo, evitar a auto-medicação,em caso de lesões genitais sintomáticas ou persistentes, procure seu médico!